Integrantes do GP participam do 38º Intercom Nacional no RJ

Com o tema central Comunicação e cidade espetáculo, a 38ª edição do Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, promovido pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), acontecerá entre os dias 3 e 7 de setembro, na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Nesta edição, o Grupo de Pesquisa Consumo e Culturas Digitais participa do evento através dos artigos científicos elaborado a partir das pesquisas dos mestrandos, doutorandos e pós-doutoranda que integram o grupo coordenado pela professora Sandra Rubia da Silva.

O que: XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação
Quando: 4 a 7 de setembro de 2015
Onde: UFRJ – Rio de Janeiro – RJ, Campus da Praia Vermelha

Confira abaixo o resumo dos artigos aprovados.

Artigo: Dos cliques à participação criativa: a presença dos fiéis católicos na internet
Autora: Ana Cássia Pandolfo Flores

Resumo:
O artigo objetiva evidenciar como a atuação criativa e participava dos fiéis católicos como produtores de conteúdo dinamiza o fenômeno religioso na internet. A partir da retomada de pesquisas brasileiras sobre a experiência religiosa em sites e portais católicos que oferecem serviços e rituais espirituais, busca-se analisar as mudanças na atuação dos fiéis ao saírem desses ambientes digitais institucionais e se apropriarem de blogs e sites de redes sociais para produzir e compartilhar conteúdo religioso por conta própria. Para tanto, é realizada uma análise exploratória de três iniciativas criadas e mantidas por fiéis na internet sem nem um tipo de vinculação a qualquer nível hierárquico da Igreja Católica.

Artigo: “Eu gosto de compartilhar o que sinto”: sobre as apropriações de smartphones na construção de narrativas afetivas em ambientes virtuais
Autores: Romulo Tondo; Sandra Rubia da Silva

Resumo:
A construção e a manutenção de redes de sociabilidade na sociedade contemporânea podem ser compreendidas através dos usos e das apropriações dos dispositivos eletrônicos. Nesse cenário, os telefones celulares ganharam destaque devido ao alto índice de consumo por diferentes faixas etárias e classes sociais. Sendo assim, o smartphone tornou-se um objeto tecnológico socialmente consumido e apropriado para as mais diversas construções. Este texto pretende articular como os telefones celulares são apropriados pelos jovens de um bairro popular de Santa Maria (RS) na manutenção das redes sociais, no compartilhamento das afetividades, considerando o dispositivo como uma tecnologia afetiva (LASEN, 2004). Nessa perspectiva, os telefones celulares são compreendidos como dispositivos híbridos (LEMOS, 2007), capazes de fomentar as experiências de conexão offline e online de seus proprietários criando, dessa forma, uma cadeia afetiva entre suas redes de sociabilidade.

Artigo: “Meu Celular, meu mundo”: notas sobre consumo e juventude nas páginas de Zero Hora
Autores: Camila Rodrigues Pereira; Romulo Tondo

Resumo:
Com o passar dos anos a sociedade criou novas categorias que foram atribuídas ao indivíduo a fim de contextualizar suas experiências de vida. Para nós, a juventude ganha um caráter reflexivo e é compreendida como um fenômeno social contemporâneo. Este artigo tem como objetivo refletir sobre as teorias do consumo e a cultura material em uma aproximação com o campo da Comunicação, partindo da proposição de consumo (SLATER, 2002; SAHLINS, 2003; MILLLER, 2013) e cultura material em Miller (2013), em que os objetos são responsáveis por construir a humanidade dos sujeitos. Como proposta de aproximação e recorte com o campo da Comunicação é proposto uma análise sobre a apresentação do perfil de consumo de jovens da capital gaúcha em uma reportagem em Zero Hora.

Artigo: Mídias e Questões Étnico-Raciais em Diálogos entre Antropologia e Comunicação
Autora: Nara Maria Emanuelli Magalhaes

Resumo: Este artigo propõe algumas reflexões teóricas sobre uma pesquisa em andamento, que estuda percepções e representações de sujeitos que se auto-definem como negros, comparadas a abordagens da televisão sobre questões étnico-raciais, e interações a respeito do tema em redes sociais como o Facebook. Os sujeitos estão sendo contatados a partir de espaços universitários (como a Universidade Federal de Santa Maria), e são pessoas que buscam a valorização da raça negra, vivida positivamente, como valorização social. A experiência de uma pesquisa anterior com estudantes de países africanos que buscam formação no Brasil, analisando a pós-diplomação em Missões Cientificas a países de origem como Cabo Verde, Moçambique e Guiné-Bissau, com apoio do CNPq, lançaram algumas bases e motivaram a pesquisa atual, trazendo questões sobre as quais propomos

refletir.

Artigo: O Facebook como espaço de mobilização para a aprovação da lei de liberação da maconha no Brasil
Autoras: Jonária França da Silva; Sandra Rubia da Silva

Resumo: 
O artigo discute as estratégias utilizadas pelo autor da proposta de lei do uso recreativo, medicinal ou industrial da maconha no Brasil, apresentado no portal e-Cidadania, a fim de mobilizar pessoas no Facebook a aderirem sua ideia. Foram feitas observações diretas na timeline do autor no período de 01 a 20 de junho de 2015. Entre os resultados obtidos são apontadas o uso de vídeo de apoiadores do uso da maconha, de pesquisadores destacando seus benefícios medicinais alcançados em países árabes e publicações divulgando eventos que têm como pauta, discutir sobre o uso da maconha seja para fins recreativo ou medicinal.

Os demais trabalhos apresentados no XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação podem ser acessados nos anais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s